Voltar 

              Maçã Bravo de Esmolfe
 
   
Pequena maçã de Outono.
O fruto da cultivar derivada do Malus domestica Borkh. A maçã apresenta aroma intenso agradável, sui generis e polpa branca macia, sucosa, doce, com boas qualidades gustativas.

De conservação prolongada e particularmente perfumada.

O uso da Denominação de Origem obriga a que a maçã seja produzida de acordo com


as regras estipuladas no caderno de especificações, o qual inclui, designadamente, as condições de produção, colheita e acondicionamento do produto. A rotulagem deve cumprir os requisitos da legislação em vigor, mencionando também a Denominação de Origem. A Maçã Bravo de Esmolfe deve ostentar a marca de certificação aposta pela respectiva entidade certificadora.


Apresentação:

Comercialmente só pode apresentar-se devidamente acondicionada em materiais próprios e pré-embalada.

Área geográfica:
A área geográfica abrange os concelhos de Manteigas, Seia, Gouveia, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Guarda, Pinhel, Covilhã, Belmonte, Fundão, Arganil, Tábua, Oliveira do Hospital, Tondela, Santa Comba Dão, Carregal do Sal, Nelas, Mangualde, Penalva do Castelo, Sátão, Aguiar da Beira, Viseu, São Pedro do Sul, Vila Nova de Paiva, Castro Daire, Trancoso, Sernancelhe, Penedono, Moimenta da Beira, Tarouca, Lamego e Armamar.

História:
Conhecida desde o século XVIII, esta variedade é originária da aldeia de Esmolfe (Penalva do Castelo) e terá sido obtida a partir de uma árvore de crescimento espontâneo (derivando daí o seu nome), cujos frutos foram particularmente apreciados e da qual se obtiveram enxertos.

 

  Voltar